Pular para o conteúdo

O Triângulo das Bermudas: mistérios que ainda nos assombram

Triangulo das Bermudas 1
Triangulo das Bermudas 1

O Triângulo das Bermudas é uma região do Oceano Atlântico que abrange cerca de 1,1 milhão de km² entre as ilhas Bermudas, Porto Rico e a Flórida. Essa área ficou famosa por supostamente ser palco de diversos desaparecimentos misteriosos de navios e aviões ao longo da história.

Algumas teorias tentam explicar esses fenômenos, envolvendo desde anomalias magnéticas, tempestades, correntes marítimas, até atividades paranormais, extraterrestres e portais dimensionais. Neste artigo, exploraremos alguns dos casos mais intrigantes que ainda nos assombram sobre o Triângulo das Bermudas.

O Voo 19

Um dos casos mais conhecidos é o do Voo 19, que ocorreu em 5 de dezembro de 1945. Cinco aviões da Marinha dos Estados Unidos, chamados de Bombardeiros Torpedo Avenger, decolaram da base aérea de Fort Lauderdale, na Flórida, para realizar um treinamento de rotina. O grupo era liderado pelo tenente Charles Taylor, um experiente piloto e instrutor. A missão consistia em voar até as Bahamas, bombardear alguns alvos e retornar à base.

No entanto, algo deu errado durante o voo. Taylor se comunicou com a torre de controle, dizendo estar perdido e que seus instrumentos não funcionavam. Ele também afirmou que não reconhecia a paisagem e que o mar não parecia o mesmo. Ele tentou seguir em direção ao oeste, mas não encontrou a costa. As comunicações ficaram cada vez mais confusas e intermitentes, até que se perderam completamente. Os cinco aviões e seus 14 tripulantes nunca mais foram vistos.

Uma operação de busca foi iniciada, envolvendo mais de 300 navios e aviões. Um dos aviões que participou da busca, um hidroavião Martin Mariner, também desapareceu sem deixar vestígios, junto com seus 13 tripulantes. Nenhum destroço ou corpo foi encontrado, apesar das intensas buscas. A Marinha dos Estados Unidos concluiu que os aviões caíram no mar por falta de combustível, mas não conseguiu determinar a causa da desorientação de Taylor e dos outros pilotos.

O USS Cyclops

Outro caso famoso é o do USS Cyclops, um navio de carga e transporte de carvão da Marinha dos Estados Unidos, que desapareceu em março de 1918, durante a Primeira Guerra Mundial. O navio saiu do Rio de Janeiro, no Brasil, em 16 de fevereiro, com destino a Baltimore, nos Estados Unidos. Ele fez uma escala em Barbados, no Caribe, em 3 de março, e depois partiu para a última etapa da viagem. Ele nunca chegou ao seu destino. O navio e seus 306 tripulantes simplesmente sumiram sem deixar rastro.

O USS Cyclops era um dos maiores navios de sua época, com 165 metros de comprimento e capacidade para transportar 11 mil toneladas de carga. Ele estava carregado com mais de 10 mil toneladas de minério de manganês, um material usado na fabricação de aço. Ele também levava passageiros civis e militares, além da tripulação. Nenhum pedido de socorro foi enviado pelo navio, nem qualquer sinal de sua localização foi detectado. Nenhuma explicação oficial foi dada para o seu desaparecimento, que permanece um mistério até hoje.

O Mary Celeste

Um dos casos mais antigos e intrigantes é o do Mary Celeste, um navio mercante americano encontrado abandonado no meio do Oceano Atlântico, em 4 de dezembro de 1872. O navio havia saído de Nova York, nos Estados Unidos, em 7 de novembro, com destino a Gênova, na Itália. Ele levava uma carga de 1.701 barris de álcool industrial, além de 10 pessoas a bordo: o capitão Benjamin Briggs, sua esposa Sarah, sua filha Sophia, e sete tripulantes.

O navio foi avistado pelo Dei Gratia, outro navio mercante, que se aproximou para oferecer ajuda. Para a surpresa dos marinheiros do Dei Gratia, não havia ninguém no Mary Celeste. O navio estava intacto, com todas as suas velas içadas, e com a carga e os pertences pessoais dos passageiros e da tripulação intactos. A única coisa que faltava era um bote salva-vidas.

O que aconteceu com as pessoas que estavam no Mary Celeste? Por que elas abandonaram o navio, deixando tudo para trás? Essas são perguntas que nunca foram respondidas. Algumas hipóteses foram levantadas, como um ataque de piratas, um motim, um assassinato, um fenômeno natural, ou até mesmo uma intervenção sobrenatural.

Nenhuma delas, porém, foi comprovada. O Mary Celeste foi rebocado até Gibraltar, onde foi submetido a uma investigação judicial. Nenhuma evidência de violência ou sabotagem foi encontrada. O navio foi posteriormente vendido e continuou navegando por mais 12 anos, até que foi deliberadamente afundado em 1885, perto do Haiti, por um esquema de fraude de seguros.

Conclusão

O Triângulo das Bermudas é uma região que fascina e assusta muitas pessoas, devido aos inúmeros casos de desaparecimentos inexplicáveis que ocorreram ali. Apesar das diversas teorias que tentam explicar esses fenômenos, nenhuma delas é conclusiva ou satisfatória.

Talvez nunca saibamos o que realmente aconteceu com as pessoas e os veículos que sumiram no Triângulo das Bermudas. Quem sabe eles tenham encontrado um destino terrível, ou por acaso eles tenham descoberto um novo mundo. O que sabemos é que o Triângulo das Bermudas continua sendo um dos maiores mistérios da humanidade.

Fonte: National Geographic

Você também pode gostar:

Cinco passos para reservar voos baratos, veja como economizar

As dez melhores praias das Filipinas

Os dez melhores pontos turísticos da Austrália

As Cataratas do Iguaçu: Um destino de aventura

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *